Gripe Equina – O que precisas saber?

Trata-se de um tema atual, os meios de comunicação estão ao rubro e os telefones dos veterinários não param. A Gripe Equina foi oficialmente confirmada em vários cavalos no Reino Unido. No seguimento de tais notícias foram suspensas todas as corridas de cavalos britânicas e os estábulos postos em isolamento. As competições do fim de semana foram canceladas e os concorrentes retiraram-se e recusam-se a viajar.

Então, com os proprietários de cavalos em alerta vermelho, a Selwood Equine pergunta “O que é a gripe equina?” e “Que risco existe?”.

O que é a Gripe Equina?

É uma doença causada pelas estirpes do vírus influenza A que são enzoóticas em diversas espécies de cavalos. A gripe equina ocorre globalmente, e é causada por duas estirpes de vírus, a equine-1 (H7N7) e a equine-2 (H3N8).O vírus afeta o trato respiratório superior e inferior. (Wikipedia)

É importante notar que a gripe equina é endémica na maior parte da Europa durante todo o ano. É algo que a indústria equestre lida 365 dias por ano. Há sempre um surto em algum lugar. Os proprietários de cavalos no Reino Unido são encorajados a vacinar seus cavalos pelo menos anualmente com as vacinas recomendadas pelos seus veterinários. As vacinas estão constantemente a mudar conforme as alterações e mutações do vírus muda. Portanto, a melhor proteção é manter-se atualizado com vacinações regulares.

Quais são os sintomas a que deve estar atento?

Uma vez o vírus é inalado pelo cavalo, afeta o revestimento das vias aéreas dos cavalos. Febre, seguida de tosse, nariz entupido e as glândulas aumentadas sob a mandíbula são evidentes. O dano causado pela tosse cria ulcerações nas membranas das vias aéreas. O que pode levar à infeção.

Com as membranas comprometidas, a drenagem do muco não é tão eficiente e os detritos não podem ser removidos. O cavalo também apresenta olhos doloridos ou inchados, depressão e letargia, falta de apetite e possível inchaço na parte inferior das pernas.

Como se pode transmitir?

A Gripe Equina é altamente contagiosa..  É transmitida através de aerossóis (pequenas gotículas de saliva quando o animal tosse ou espirra) na atmosfera pelos cavalos infectados. Os cavalos nas proximidades inalam o vírus através das suas vias aéreas pelas gotículas transmitidas pelo ar. O contato direto com cavalos infetados também causará a disseminação. o contato com os tratadores e também cavalo a cavalo – nariz a nariz por exemplo. Superfícies e objetos contaminados também podem transferir o vírus. Embora o vírus não dure muito tempo fora do corpo dos cavalos. O vírus também pode espalhar-se por distâncias maiores, até 100m, então, em suma, pode ser “levado pelo vento”

Com um curto período de incubação o corrimento nasal começará cerca de 24 horas após o animal estar infectado. Este corrimento podem continuar entre 7 a 10 dias em alguns cavalos. Após esse período os cavalos não se tornam portadores.

Qual o período de incubação?

A incubação é de um a cinco dias, o que significa que o vírus pode espalhar-se rapidamente entre os cavalos. Para cavalos com casos confirmados, o repouso isolado é vital. Aconselha-se uma semana de descanso por cada dia que o seu cavalo tenha uma temperatura elevada. Não pode tratar a gripe equina com antibióticos, é um vírus. Apenas as infeções secundárias exigirão antibióticos.

O vírus sobrevive quanto tempo?

O vírus não pode viver durante muito tempo fora do corpo do cavalo, a orientação é que pode viver por até 48 horas em superfícies duras. Portanto, o isolamento correto combinado com a implementação de medidas de biossegurança impedirá a disseminação adicional através de objetos ou superfícies. Proceda à desinfeção para maior proteção. O vírus também é vulnerável à exposição solar direta, calor e frio extremo.

Os cavalos afetados ficarão doentes entre 2 a 10 dias se não se manifestar outra infeção secundária. Os sinais clínicos geralmente desaparecem dentro de 3 semanas.

Devo parar de competir?

Embora as corridas tenham sido abandonadas temporariamente, os especialistas em medicina veterinária informaram à Federação Equestre Britânica que, neste momento, não é considerado necessário cancelar outros eventos. Para os proprietários dos cavalos, trata-se de uma decisão individual que devem tomar. Alguns centros podem tomar a decisão independentemente da decisão dos proprietários, cancelando o seu programa de eventos.

Que ação deve agora tomar?

Vigie os seus cavalos e esteja atento a quaisquer alterações. Como sempre, a boa prática é essencial. Evite contato direto com outros cavalos e os seus pertences quando estiver fora. Certifique-se de que as suas vacinas estão atualizadas. A Federação Equestre Britânica sugere que se o seu cavalo levou a última vacinação anual há mais de seis meses, pode discutir um reforço da vacina com o seu veterinário. Não se trata de uma regra ou requisito, é apenas uma sugestão de aconselhamento.

O que fazer se achar que o seu cavalo tem gripe equina?

Se vir qualquer um dos sinais listados acima, isole o cavalo e entre em contato com o seu veterinário imediatamente. Aplique a biossegurança em relação ao cavalo afetado, estábulo e tratadores. Qualquer cavalo que apresente sinais de possível gripe equina não deve ser transportado para fora do estábulo. Isso inclui competições. Notifique qualquer pessoa que tenha tido contato com o seu cavalo durante a semana anterior a duas semanas.

Em resumo, não entre em pânico. Seja pragmático e sensato. Tenha em mente o seu(s) cavalo(s), planos de viagem e quais são as atualizações. Tanto local como nacionalmente. Esta é uma situação fluída – as mudanças são constantes. Situações como esta não beneficiam do pânico em massa da comunidade equina para alimentá-las. Procure sempre o aconselhamento de um veterinário se não tiver certeza.

 

 

Leave a Reply

Your e-mail address will not be published. Required fields are marked *